sexta-feira, 11 de agosto de 2017

“MasterChef Brasil”: Victor é punido pela ousadia e perde para Deborah, que segue como preferida e protegida dos jurados


A ousadia de Victor V. de fugir sempre da zona de conforto ao elaborar seus pratos no “MasterChef Brasil” acabou lhe custando a eliminação no episódio que foi ao ar na terça-feira (8), na Band. Ao disputar uma vaga na semifinal com Deborah e Michele na Prova de Eliminação, o capixaba não agradou ao paladar dos jurados ao fazer um caviar de berinjela de acompanhamento do seu Tournedos Rossini. Como gosto não se discute e a palavra final é de Érick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella, Victor encerrou sua participação como o quarto melhor cozinheiro amador da competição. Mas o comportamento dos três jurados pode ser discutido, sim. E questionado, pois o desafio era replicar um clássico da cozinha francesa, o que Victor fez tão bem quanto Michele e melhor do que Deborah. Tanto que no momento de provar o prato dele, os três chefs afirmaram que o filé mignon e o foie gras estavam perfeitos e o molho maravilhoso. Já o comentário de Fogaça após degustar o Tournedos de Deborah foi de que não estava perfeito, pois tinha “um vento de trufa”, e Paola chegou a dizer que, de 1 a dez, daria nota 5. Então por que quando os dois se reuniram com Jacquin para decidir quem eliminar, mudaram de opinião e disseram que os três filés estavam perfeitos?

Claro que Victor se arriscou ao escolher uma guarnição errada na tentativa de fugir do óbvio. Mas os argumentos dos jurados soariam mais justos e verdadeiros se eles também tivessem atitudes menos contraditórias e posturas mais justas. Há vários episódios a preferência que Jacquin tem por Deborah fica evidente na forma como ele tenta ajudá-la com dicas quando está cozinhando e até defendê-la nas avaliações. Isso ficou evidente no primeiro desafio em que cada um deveria fazer o seu prato autoral para quatro convidados: dois empreendedores, um crítico de gastronomia e um chef profissional. Ao ir à bancada da carioca, que estava fazendo lagosta, o chef francês recomendou que ela cortasse em medalhões e fritasse na frigideira. Só que a orientação não foi seguida e Deborah ficou entre os piores por não ter acertado o ponto ao fritar o crustáceo inteiro. Ou seja, depois do alho queimado, lagosta crua.

E a proteção de Jacquin a Deborah continuou na Prova de Eliminação. Enquanto tanto Fogaça quanto Paola cortou o filé mignon para ver o ponto da carne antes de começarem a provar os pratos de Michele e Victor, respectivamente, o chef francês chegou diante do Tournedos de Deborah e imediatamente despejou sobre ele todo o molho do pote, o que, é claro, deixou o foie gras dourado e maquiou o ponto do medalhão. Só não percebeu quem não quis o truque usado pelo jurado para favorecer a participante. Lamentável, pois são artimanhas como essa que tiram a credibilidade da competição e qualquer expectativa para a semifinal, que será disputada na próxima semana entre Michele, Deborah e Valter, que não participou da Eliminação por ter sido o vencedor da primeira prova.


Mais "MasterChef Brasil" em:
https://tvindependentebyelenacorrea.blogspot.com.br/2017/08/masterchef-brasil-deborah-e-salva-com.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos serão ocultos e seus autores responsabilisados.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.